Evangelho segundo S. Marcos 8,11-13. CATOLICA


Segunda-feira da 6ª semana do Tempo Comum

Livro de Génesis 4,1-15.25.

O homem conviveu com Eva, sua esposa, e ela deu à luz Caim. Então Eva disse: «Obtive um homem graças ao Senhor».

Depois deu à luz Abel, o irmão. Abel era pastor e Caim cultivava a terra.

Passado algum tempo, Caim ofereceu em sacrifício ao Senhor produtos da terra

e Abel ofereceu as primícias e a gordura do seu rebanho. O Senhor olhou benignamente para Abel e para a sua oferenda,

mas não quis olhar para Caim e para a sua oferenda. Caim ficou muito irritado e de rosto abatido.

O Senhor disse a Caim: «Porque estás irritado e de rosto abatido?

Se procederes bem, não poderás ainda levantar a cabeça? Mas se não procederes bem, o pecado está à tua porta. Ele desejará atingir-te, mas tu poderás dominá-lo».

Disse Caim a seu irmão Abel: «Vamos ao campo».

E quando estavam no campo, Caim lançou-se contra seu irmão Abel e matou-o.

O Senhor disse a Caim: «Onde está o teu irmão Abel?». Caim respondeu: «Não sei. Sou porventura eu o guarda do meu irmão?».

O Senhor disse-lhe: « Que fizeste? A voz do sangue do teu irmão clama da terra por Mim.

Agora ficas maldito pela terra, que abriu a boca para receber das tuas mãos o sangue do teu irmão.

Ainda que a cultives, não mais te dará a sua fertilidade. Andarás errante e fugitivo sobre a terra».

Caim disse ao Senhor: «O meu castigo é tão grande que não poderei suportá-lo.

Se hoje me desterrais daqui, terei de ocultar-me da vossa presença; andarei errante e fugitivo sobre a terra e o primeiro que me encontre me matará».

O Senhor respondeu-lhe: «Quem matar Caim será vingado sete vezes». O Senhor colocou um sinal sobre Caim, para que ele não fosse morto por quem o encontrasse.

Adão conviveu ainda com a sua esposa e ela deu à luz um filho, a quem pôs o nome de Set, dizendo: «Deus concedeu-me outro descendente, em lugar de Abel, morto por Caim».

Livro de Salmos 50(49),1.8.16bc-17.20-21.

Falou o Senhor, Deus soberano,
e convocou a terra, do Oriente ao Ocidente.
Não é pelos sacrifícios que Eu te repreendo:
os teus holocaustos estão sempre na minha presença.

Como falas tanto na minha lei
e trazes na boca a minha aliança,
tu que detestas os meus ensinamentos
e desprezas as minhas palavras?

Sentas-te a falar contra o teu irmão
e difamas os filhos da tua mãe.
Fizeste isto e Eu calei-me; pensaste que Eu era como tu.
Hei-de acusar-te e lançar-te tudo em rosto.
Evangelho segundo S. Marcos 8,11-13.

Naquele tempo, apareceram alguns fariseus e começaram a discutir com Jesus. Para O porem à prova, pediam-Lhe um sinal do céu.

Jesus suspirou do fundo da alma e respondeu-lhes: «Porque pede esta geração um sinal? Em verdade vos digo: não se dará nenhum sinal a esta geração».
Depois deixou-os, voltou a subir para o barco e foi para a outra margem do lago.

Palavra da Salvação…